Posts

Imagem EBC

Vendas de veículos caem 3% em junho, mas sobem 5,15% na comparação anual

O setor de distribuição de veículos registrou retração de 3% nas vendas em junho, na comparação com maio, com 277.194 unidades comercializadas, considerando todos os segmentos (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros). Na comparação com junho do ano passado, no entanto, houve crescimento de 5,15% nas vendas do setor, de acordo com balanço mensal divulgado hoje (4) pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

No primeiro semestre de 2017, foram emplacadas 1.505.453 unidades ante 1.592.711 no mesmo período de 2016, o que representou uma queda de 5,48% para todos os setores somados.

Considerando apenas os veículos leves – carros de passeio e comerciais leves – , as vendas em junho deste ano cresceram 13,71% em relação ao mesmo mês de 2016, com 189.229 unidades emplacadas este ano contra 166.416 em junho do ano passado. Em relação a maio, as vendas nesses segmentos tiveram leve queda de 0,47%. No acumulado do ano, de janeiro a junho, as vendas nesses segmentos cresceram 4,25%, com 991.475 unidades comercializadas no primeiro semestre de 2017, contra 951.098 no mesmo período de 2016.

Para o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Jr., apesar de o mês de junho ter tido um dia útil a menos que maio (21contra 22)), o crescimento da média diária, em 4,5% para automóveis e comerciais leves, que chegou a 9 mil unidades emplacadas, praticamente, anulou este efeito. “O mês de junho mostrou-se bastante agitado politicamente, gerando, inclusive, uma pequena queda nos índices de confiança de curto prazo. Porém, isso não afetou a tendência de melhora, resultando num encerramento de primeiro semestre positivo em 4,25%”, declarou.

Ônibus, caminhões e motos

Nos segmentos de ônibus e caminhões, as vendas em junho subiram 5,363% em relação a maio e 6,61% na comparação com junho de 2016.

As vendas de motos tiveram queda de 9,77% entre maio e junho e de 11,34% na comparação com junho do ano passado. Segundo a Fenabrave, o segmento vem sofrendo sucessivas quedas desde a crise de 2008.

A entidade também anunciou nesta terça-feira novas projeções para o setor em 2017. Segundo a Fenabrave, considerando todos os segmentos, o resultado deste ano deve cair 1,6% em relação a 2016. Para os segmentos de automóveis e comerciais leves, a expectativa é de alta de 4,3%. Já para caminhões e ônibus, deve haver queda de 10,2% (-11,5% para caminhões, -5,5% para ônibus e -7,1% para implementos rodoviários). O segmento de motocicletas deverá cair 13,5%, segundo a entidade.

*Agência Brasil

Imagem Agência Brasil

Vendas dos supermercados caem 6,96% em maio

 

As vendas em valores reais do setor de supermercados apresentaram queda de 6,96% em maio na comparação com abril e alta de 1,06% em relação a maio do ano passado.

No acumulado do ano houve alta de 0,61%, na comparação com o mesmo período de 2016, de acordo com o Índice Nacional de Vendas da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), pesquisado pelo Departamento de Economia e Pesquisa da entidade. Em valores nominais, as vendas do setor apresentaram queda de 6,67% em relação ao mês de abril e, quando comparadas a maio de 2016, alta de 4,72%. No acumulado do ano, as vendas cresceram 5,15%.

“Nos últimos dois meses o Caged [Cadastro Geral de Empregados e Desempregados] registrou aumento nos postos de trabalho e a inflação também tem se mantido em baixos patamares, fatores que influenciam diretamente no resultado acumulado das vendas do setor. Mas sabemos que o momento ainda é de cautela, o cenário político brasileiro tem passado por novas reviravoltas, e isso também afeta na confiança e na intenção de compra da população”, destacou o presidente da Abras, João Sanzovo Neto.

No mês de maio, a cesta de produtos Abrasmercado, composta de 35 produtos de largo consumo, pesquisada pela GfK e analisada pelo Departamento de Economia e Pesquisa da Abras, registrou queda de 0,54%, ao passar de R$ 470,16 para R$ 467,62. Já no acumulado do ano, a cesta apresentou queda de 3,21%.

Segundo a pesquisa, as maiores quedas de preço no mês de maio foram registradas em produtos como: tomate (11,26%), farinha de mandioca (8,53%), queijo mussarela (4,14%) e açúcar (4,11%). Já as maiores altas foram nos itens: cebola (7,42%), batata (6,90%), sabão em pó (4,82%) e creme dental (2,88%).

Só a Região Sudeste registrou alta nos preços (0,21%). As demais registraram queda: Norte (-1,45%), Sul (-0,74%), seguidas do Nordeste (-0,54%) e do Centro-Oeste (-0,04%).

*Fonte: Agência Brasil

Arquivo/Agência Brasil/EBC

Venda de veículos usados fica estável em 2016

As vendas de veículos usados ficaram estáveis em 2016, segundo dados divulgados hoje (4) pela Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Foram vendidas 13,34 milhões de unidades, contra 13,35 milhões em 2015, uma redução de 0,07%.

Em dezembro, as vendas de usados registraram alta de 8,75% em comparação com o mesmo mês de 2015, com a comercialização de 1,36 milhão de veículos, desse total, 904,7 mil eram automóveis, 10,3% a mais do que o vendido em dezembro de 2015.

Em compensação, as vendas de veículos novos enfrentam forte queda, com retração de 20,29% em 2016 em comparação com 2015. Foram emplacadas 3,17 milhões de unidades ao longo do ano passado, contra 3,98 milhões de 2015.

As vendas de automóveis tiveram queda de 20,47% em 2016, com a comercialização de 1,68 milhão de unidades, contra 2,1 milhões do ano anterior. Em dezembro, foram emplacados 170 mil carros, o que significou alta de 14,32% sobre novembro e queda de 12% em relação ao mesmo mês de 2015.

 

*Fonte: Agência Brasil