Posts

EBC

Pesquisa aponta que pequeno empresário não pretende investir nos próximos meses

 

Levantamento feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) indica que 66% dos micro e pequenos empresários não têm intenção de fazer investimentos em seus empreendimentos nos próximos três meses. Ainda de acordo com o levantamento divulgado hoje (20), 80% não planejam tomar crédito nos próximos 90 dias.

Seguindo uma escala que vai de zero a 100, o Indicador de Propensão a Investir registrou apenas 26,6 pontos no último mês de junho. O resultado ficou abaixo do registrado em maio, quando foram registrados 27,2 pontos. Em junho de 2016 esse índice estava em 21,4 pontos.

Segundo o estudo, 37% dos empresários não veem necessidade em fazer investimentos para a melhoria de seus negócios. “A desconfiança diante da crise é mencionada por 31% dos que não planejam investir”, informou o levantamento. Além disso, outros 12% ainda aguardam o retorno de investimentos já feitos; e 10% sentem falta de crédito para poder concretizar melhorias nos negócios.

“A recessão e o alto custo de capital tornam os empresários mais cautelosos diante da possibilidade de expandir seus negócios e de assumir dívidas para fazer frente a investimentos”, explicou, por meio de nota, o presidente da CNDL, Honório Pinheiro.

Entre os 19% de empresários que cogitam fazer algum investimento (7% dos pesquisados pretendem investir e 12% se dizem ainda indecisos), 33% pretendem aplicar na ampliação de estoque; 27% na compra de equipamentos e maquinários; 24% na reforma da empresa; 15% em comunicação e propaganda; e 13% na ampliação do portfólio de produtos.

De acordo com o estudo, a principal fonte de recursos dos investimentos a serem feitos virá do próprio capital das empresas, por meio de recursos guardados em forma de aplicação (44%) ou venda de algum bem (11%). Essa escolha se deve às altas taxas de juros cobradas pelos bancos (60%) ou pelo medo de não conseguirem pagar eventuais recursos emprestados (7%).

A demanda por crédito apresentou “ligeiro avanço” de maio para junho, passando de 13,1 pontos para 15,2 pontos. De acordo com o SPC Brasil e a CNDL, o resultado “ainda fica distante dos 100 pontos, mostrando que a demanda desses empresários por crédito segue baixa”. Quanto mais próximo dos 100 pontos, maiores são as intenções dos empresários para tomar crédito no prazo de três meses.

O estudo foi feito a partir de consultas a 800 empreendimentos com até 49 funcionários, nas 27 unidades da federação, incluindo capitais e interior.

Fonte: Agência Brasil

inovar ok

O pequeno deve inovar para crescer

Às vezes fica a impressão de que inovação é uma palavra que só cabe em empresas super disruptivas, aquelas de alto impacto, modernas. Um grande mito. Inovar, na verdade, é criar soluções que gerem impactos positivos, seja para uma organização, uma comunidade ou o planeta. E isso pode ser feito em qualquer lugar, a qualquer hora.

Os pequenos empreendedores não só podem, como devem inovar. Isso, inclusive, é uma condição para que cresçam. Aperfeiçoar processos, melhorar o atendimento, lançar uma promoção criativa, criar um modelo de vendas mais eficiente. Essas são só algumas das maneiras através das quais é possível inovar em pequenos negócios.

Tudo deve partir do desenvolvimento de uma mentalidade inovadora, tanto no empreendedor quanto na equipe. Da sua parte, busque ampliar seus horizontes, adquirindo conhecimentos fora de sua área de atuação. Às vezes, os melhores insights vêm de onde menos se espera.

A equipe

Ao mesmo tempo, procure fomentar em sua equipe uma postura inovadora diante das situações. Abra espaço para que as pessoas opinem, ajudem a criar processos e troquem ideias entre si, com o objetivo de encontrar soluções juntas. Talvez o melhor caminho para o financeiro esteja na cabeça de alguém do marketing. Quem sabe?

O público

Outro fator importante é se manter sempre em sintonia com seu público. Isso ajuda a avaliar o que você está fazendo e, principalmente, entender as necessidades das pessoas que frequentam seu negócio. Assim, você poderá inovar para atender essas demandas reprimidas.

O mercado

Por fim, mas não menos importante, é fundamental manter-se extremamente atento ao mercado, com seus concorrentes sempre no radar e um olhar vigilante para os entrantes. Novos negócios costumam trazer consigo grandes ideias que podem ser replicadas com muito mais sucesso por você, que já tem experiência e público formado.

 

* Com informações do Administradores