Posts

Agência Brasil

Atividade econômica recua 0,2% em maio, diz Serasa Experian

 

A atividade econômica brasileira recuou 0,2% em maio, na comparação com o mês anterior. Na comparação com maio de 2016, a atividade econômica subiu 0,9%. De janeiro a maio foi registrada retração da atividade econômica de 0,1% em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com o Indicador Serasa Experian de Atividade Econômica (PIB Mensal).

De acordo com economistas da Serasa Experian, o agravamento da crise política a partir da segunda quinzena de maio pode ter impactado a atividade econômica do mês, reduzindo o ímpeto registrado na abertura do segundo semestre.

Segundo o levantamento da Serasa Experian, houve retração de 3,1% da atividade do setor agropecuário no mês de maio em comparação com abril. Já na atividade industrial houve avanço de 0,6% e em serviços de 0,3%. Pelo lado da demanda agregada, o mês de maio teve recuo em todos os seus componentes: consumo das famílias (-0,2 %) ; consumo do governo (-0,4 %) ; investimentos (-2,1 %) ; exportações (-4,5 %) e importações (-6,1 %) .

No acumulado dos primeiros cinco meses de 2017, a atividade agropecuária cresceu 15,0% em relação ao mesmo período do ano passado. Já a indústria e o setor de serviços caíram 1,0% e 1,2%. No acumulado dos primeiros cinco meses de 2017, praticamente todos os componentes da demanda agregada recuaram: consumo das famílias (-1,4 %) , consumo do governo (-1,9 %) , investimentos (-4,4 %) , exportações (-0,4 %) e as importações cresceram 5,9%.

Fonte: Agência Brasil

Índice de Atividade Econômica registra queda de 0,48% em outubro, 0,08% em setembro, 0,81% em agosto e 0,05% em julho. Agência Brasil/EBC

Atividade econômica cai 0,48% em outubro, no 4º mês seguido de recuo

A atividade econômica apresentou o quarto mês seguido de retração, de acordo com dados divulgados hoje (15) pelo Banco Central (BC), na internet. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) dessazonalizado (ajustado para o período) registrou queda de 0,48%, em outubro, comparado a setembro. Os dados atualizados mostram retração também em setembro (0,08%), agosto (0,81%) e julho (0,05%).

Na comparação entre outubro deste ano e outubro de 2015, houve queda de 5,28%, de acordo com os dados sem ajustes já que a comparação é entre períodos iguais.

No ano, o IBC-Br acusa queda de 4,82% e, em 12 meses encerrados em outubro, retração de 5,09%, nos dados sem ajuste.

IBC-Br avalia evolução da economia

O IBC-Br é uma forma de avaliar a evolução da atividade econômica brasileira e ajuda o BC a tomar suas decisões sobre a taxa básica de juros, a Selic.

O índice incorpora informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: indústria, comércio e serviços e agropecuária, além do volume de impostos. Mas o indicador oficial sobre o desempenho da economia é o Produto Interno Bruto (PIB), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O PIB é a soma de todas as riquezas produzidas pelo país.

 

*Fonte: Agência Brasil

Banco Central constatou que atividade econômica cresceu 0,15% em setembro (Agencia Brasil/arquivo)

Atividade econômica cresce 0,15% em setembro e cai 0,78% no 3º trimestre

Depois de dois meses seguidos de queda, a atividade econômica registrou crescimento em setembro de 0,15%, na comparação com agosto. É o que mostra o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) dessazonalizado (ajustado para o período), divulgado hoje (17). Em agosto, o índice caiu 1,01% e, em julho, 0,18%.

Nos três meses, houve queda de 0,78%, na comparação com o segundo trimestre deste ano. Em relação ao terceiro trimestre de 2015, a retração chegou a 3,84%, segundo os dados sem ajustes, já que a comparação é feita entre períodos iguais.

No ano, o IBC-Br registra queda de 4,83% e, em 12 meses encerrados em setembro, retração de 5,23%.

Taxa Selic

O IBC-Br é uma forma de avaliar a evolução da atividade econômica brasileira e ajuda o Banco Central a tomar suas decisões sobre a taxa básica de juros, a Selic.

O índice incorpora informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: indústria, comércio e serviços e agropecuária, além do volume de impostos. Mas o indicador oficial sobre o desempenho da economia é o Produto Interno Bruto (PIB – a soma de todas as riquezas produzidas pelo país), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

*Fonte: Agência Brasil