Em Mato Grosso do Sul, o Natal deve movimentar R$ 174,8 milhões em presentes. Foto: José Cruz-ABr 1

Compras à vista devem predominar neste Natal

Desde segunda-feira (14) as lojas de Campo Grande já funcionam até às 22 horas, seguindo para o período de maior importância de vendas no varejo do ano. Em Mato Grosso do Sul, o Natal deve movimentar R$ 174,8 milhões em presentes, adicionando-se ainda as outras compras para a ceia de Natal, viagens e diversões, conforme indica a pesquisa sazonal do Instituto de Pesquisa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (IPF-MS), Sebrae/MS, Universidade Anhanguera-Uniderp e Fundação Manoel de Barros.

A maioria dos consumidores deverá comprar à vista em dinheiro, cartão de débito ou cheque (47%), à vista com o cartão de crédito (9%). Já as compras a prazo serão realizadas com o cartão de crédito (23%) ou outras formas oferecidas pela loja (22%). Quando a opção do consumidor for pagamento parcelado, prevalecerá o pagamento em três parcelas (60%). A forma escolhida de pagamento pelo consumidor é interessante para o empresário, pois haverá a entrada de caixa de recursos em espécie ou com baixo risco de inadimplência.

O montante, devido ao cenário de crise, é 18,6% menor do que o estimado no ano passado, sem considerar a inflação acumulada no período, da ordem de (9,8%). Quase (81%) dos consumidores irão às compras, gastando R$135 por presente, com a possibilidade de (52%) dos consumidores comprarem até 2 presentes. Aqui também se observa valores inferiores aos estimados no ano passado.

A pesquisa também aborda o uso do 13º salário. Em dezembro, Mato Grosso do Sul (MS) deverá receber um valor aproximado de R$ 1,35 bilhão em salário, proveniente dos empregos formais, mais R$ 283,2 milhões dos proventos de aposentados, pensionistas e segurados. Soma-se a isto a parcela do 13º. salário, composto de R$ 871,0 milhões dos empregos formais e R$ 142,0 milhões dos aposentados, pensionistas e segurados, sem considerar a parcela do 13º. salário das empregadas domésticas. Estima-se que haverá uma injeção de aproximadamente R$ 2,67 bilhões na economia do MS.

Quanto aos municípios, a movimentação esperada é de R$ 1.223.404 em Aparecida do Taboado; R$ 1.961.066 em Aquidauana; R$ 43.230.453 em Campo Grande; R$ 1.245.962 em Chapadão do Sul; R$ 3.453.333 em Corumbá; R$ 9.306.274 em Dourados; R$ 2.011.364 em Naviraí; R$ 2.653.313 em Nova Andradina; R$ 3.002.885 em Ponta Porã; R$ 1.106.496 em São Gabriel do Oeste; R$ 6.793.592 em Três Lagoas.

 

Fonte: Fecomércio/MS